Notas de 500 euros

As notas de 500 euros fazem parte do imaginário de quase todos nós. Da minha parte, só as vi muito raramente. Uma nota de 500 euros é uma enormidade, e para se ter uma ideia, infelizmente dá para pagar o ordendado mínimo, e o patrão ainda ficar com troco…

Uma das histórias mais interessantes por detrás das notas de 500 euros está relacionada com os nossos vizinhos espanhóis. Há uns anos atrás, descobriu-se que uma em cada quatro notas de 500 euros se encontrava aqui ao lado em Espanha. Uma quantidade muito superior à que seria de esperar para a dimensão do país vizinho. Não admira portanto que sejam alvo nomeadamente de falsificação. Notícias anteriores davam já conta que a nota de 500 era das preferidas de vários meios ligados ao crime, passando a ser uma alternativa ao dólar americano.

As notas de 500 euros ganharam tal fama em Espanha, que são conhecidas como Bin Ladens. Notas que ninguém sabe onde estão, mas que andam por aí. As estatísticas referem que cada espanhol tem, em média, duas notas dessas em seu poder.

Em alguns países, a nota já foi retirada de circulação. O mês passado, em Espanha, o líder da oposição propôs o mesmo. O objectivo é dificultar a vida ao mercado paralelo. A medida também poderia permitir impulsionar a economia. A medida poderia ser efectuada num prazo muito curto, e envolveria para os possuidores uma necessidade de justificar a proveniência do dinheiro.

Para ver o que se passava em Portugal, descobri há uns dias, que o Banco de Portugal divulga estatísticas sobre a massa monetária em circulação, e nomeadamente as notas de 500 euros. Compilei o gráfico abaixo, onde se verifica uma evolução relativamente estável das notas de 500 euros depositadas e levantadas no Banco de Portugal.

O que verdadeiramente me surpreendeu foi a evolução da curva a verde, respeitante às notas colocadas em circulação pelo Banco de Portugal. O valor representa a “diferença entre os totais acumulados de notas saídas e entradas no banco central desde a introdução do euro”. O valor é muito elevado até há exactamente dois anos atrás, começando uma queda muito significativa a partir daí. A explicação para os números negativos é dada pelo Banco de Portugal, que explica que “pelo facto de existirem em circulação em Portugal notas colocadas por outros bancos centrais da Área do Euro que, num dado momento, podem estar depositadas no Banco de Portugal, este indicador pode apresentar valores negativos”.

A verdade é que, nos últimos dois anos, estas notas estão a ser depositadas no Banco de Portugal em maior quantidade de que as que são levantadas. A razão subjacente será porventura interessante. Eu, pessoalmente, nunca possuí uma nota de 500. E com este estudo, só não recusarei uma se ma oferecerem. Para poupar, o mealheiro enche mais depressa com notas pequenas, e quando o mealheiro enche, o montante vai para o banco. Mas, realmente, ocorre-me uma dúvida. Para aquelas pessoas com muito dinheiro, e com o que aconteceu recentemente em Chipre, não sei o que é mais seguro…

notas 500 euros em circulacao

Tags:

{ 1 comment to read ... please submit second! }

{ 1 Pingbacks/Trackbacks }

  1. Proibir as notas? » Poupar Melhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *