Consumo de gás em caldeira de aquecimento

Enquanto há gadgets bastante interessantes para monitorizar o consumo da electricidade, o mesmo já não se pode dizer em relação à monitorização do consumo de gás. A variação de consumo é lenta, pelo que dificulta a percepção de como varia o consumo. Foi então que me lembrei das técnicas de time-lapse (ver exemplos magníficos de time-lapse), e como as podia utilizar neste contexto.

No vídeo abaixo podemos ver como medimos o consumo da nossa caldeira. O display da caldeira dá-nos uma indicação da temperatura que a água do circuito de aquecimento atinge. Esta parte do vídeo está acelerada 16 vezes. A temperatura vai diminuindo ligeiramente ao longo do tempo, sendo que ao atingir aproximadamente os 37 graus, a caldeira volta a aquecer a água, sendo tal visível no canto superior direito do display. Nesses momentos, a temperatura da água sobe até cerca dos 52ºC, sendo tal função naturalmente da programação, que neste caso se encontra próximo do mínimo. Neste cenário, a caldeira tem um período de um pouco mais de 10 minutos sem utilização de gás, procedendo ao aquecimento da água durante cerca de dois minutos e meio.

Verificando o consumo no contador, podemos ver como o consumo de gás é neste exemplo constante ao longo do tempo. Também está acelerado 16 vezes, sendo que este tempo de consumo corresponde na verdade a dois minutos e meio de consumo, nos quais se consumiram 0.039 m3 de gás.

A combinação destas contas permite-nos calcular o consumo de gás nestas circunstâncias. Num total de doze minutos e quarenta segundos, a caldeira aqueceu a água durante dois minutos e trinta e dois segundos, nos quais se consumiram os tais 0.039 m3 de gás. Tal corresponde a cerca de 0.185 m3 de gás por hora. Ao custo de 0.70 €/m3, considerando as premissas definidas neste artigo, cada hora de aquecimento custa, em gás natural, cerca de 13 cêntimos de euro.

Naturalmente, este valor variará em função de vários outros factores, incluindo a temperatura exterior, interior, a programação da caldeira, e a quantidade de radiadores ligados… A eles voltaremos, na perspectiva de optimização deste custo.

Tags: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *