Corte de relva

Neste artigo falamos da importância dos horários de rega dos jardins. Hoje, vamos abordar alguns dos aspectos relacionados com o corte da relva dos nossos jardins.

Um dos aspectos principais do corte está relacionado com a altura do corte. De um modo geral, o corte deve ser mais alto no Verão, para evitar que a terra e a relva seque. A própria altura da relva serve para criar mais sombra, e assim permitir uma maior luta contra cenários de seca, minimizando igualmente as necessidades de rega. Na Primavera e Outono, o corte deverá ser mais baixo. Quanto mais o relvado é calcado, mais alto deve ser o corte, para permitir uma rápida regeneração. Quanto mais baixo é o corte, maior é a fraqueza para a relva, pelo que só quando a taxa de crescimento é elevada, é que é recomendado cortá-la baixa. Em qualquer caso, não deverá cortar, em cada momento, mais de um terço da altura da relva.

Igualmente importante é ter as lâminas do corta-relva bem afiadas. Quando isso não acontece, em vez de cortar a relva, provavelmente estará a arrancá-la. Deve verificar os restos presentes no corta-relva, para verificar se isso está ou não a acontecer. Deste link retiramos as duas imagens abaixo, a mais à esquerda relativa a uma relva bem cortada e a da direita, mal cortada.

Igualmente importante é recolher os restos da relva, dado que o depósito desses restos no relvado abafa o próprio relvado. Na verdade, não é um meio eficiente de adubamento, sendo preferível a compostagem. Deve evitar-se o corte da relva quando a relva está húmida. Fiquei mesmo um pouco surpreendido quando verifiquei que online é possível obter previsões sobre a adequabilidade do corte da relva. Mas tenha também em atenção os momentos da rega. Cortar um relvado regado é mais difícil, deixa marcas, e o resultado não é o relvado que todos esperamos…

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *