Dívidas do Estado Português

Li anteontem nos Media referências a “juros nervosos“, “dia negro“, e “amortização de dívida“. Uma análise rápida permitiu-me confirmar que o que havia acontecido, e que estava previsto acontecer, era um pagamento de uma dívida do Estado, que havia sido criada em 1988, e que tinha um valor de 5572 milhões de euros. Fiquei muito curioso em saber algo mais sobre a dívida do nosso País.

Uma pequena investigação na Internet levou-me ao site do IGCP. Basta ler o último boletim mensal, para perceber como estamos. A imagem abaixo retrata a dívida de médio e longo prazo que há a pagar nas próximas décadas:

Estrutura da dívida

Estrutura da dívida

Como é fácil de perceber, nos próximos oito anos vamos ter pagamentos de dívidas que rondam anualmente os 6% do PIB. Todos os anos, para além do défice. O mesmo boletim descrimina as Obrigações do Tesouro que vencem até 2024. Como se pode ver no gráfico seguinte, que retrata quando essas Obrigações do Tesouro foram lançadas, bem como as taxas de juro e valor da dívida, vamos nos próximos anos ter que pagar as dívidas criadas na última década:

Dívidas em Obrigações do Tesouro

Dívidas em Obrigações do Tesouro

Note-se como o valor de cada emissão foi sendo quase sempre maior, com excepção das últimas duas emissões. Note-se igualmente a emissão de 15 de Abril de 2006, que só será paga daqui a 24 anos!!! Decidido a escavar um pouco mais, ainda fiz um gráfico da dívida de curto prazo, que terá que ser paga nos próximos meses:

Bilhetes do tesouro

Dívidas em Bilhetes do Tesouro

Não vamos aqui tecer juízos de valores. Uma imagem vale por mil palavras, e assim todos podemos ter uma ideia clara do que aí vem. Teríamos todos a ganhar se os políticos baseassem as suas afirmações em gráficos tão simples como estes, e nos explicassem como é que isto vai ser tratado…

Tags:

{ 2 comments to read ... please submit one more! }

  1. Obrigado pela informação! É sempre bom ver as coisas de forma sucinta e sem grandes dissertações, que muitas vezes nos fazem ver a realidade de um determinado ângulo.

{ 0 Pingbacks/Trackbacks }

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *