Zeer em Lisboa

Depois da experiência do zeer na praia, ele voltou connosco para Lisboa. Foi colocado na floreira, no exterior da casa, e logo foi alvo de experimentação.

Para a experiência contei já com os dois termómetros, um dentro do zeer, e outro fora para medir a temperatura exterior. O gráfico de temperaturas abaixo evidencia os resultados da experiência, com a linha a azul a representar a temperatura do zeer, enquanto a vermelho está representada a temperatura ambiente.

Temperaturas num zeer em Lisboa

Temperaturas num zeer em Lisboa

A experiência decorreu durante a tarde, pois o local onde o zeer foi colocado apanha Sol directamente até ao início da tarde, o que dificulta nomeadamente a monitorização da temperatura ambiente.

A partir do momento em que se coloca água no zeer, a temperatura interior diminui rapidamente. Mas essa descida acelerou ainda mais com a colocação dum pano absorvente molhado. A colocação de mais água a meio da tarde ajudou um pouco, mas não foi muto determinante. Quando ao final da tarde tirei o pano absorvente, a temperatura interior rapidamente subiu, mas voltou a descer depois de estabilizar. É fácil de perceber que o pano absorvente é parte importante num correcto funcionamento do zeer.

Neste exemplo, consegui uma diferença para com a temperatura exterior de 5ºC, bastante melhor que o conseguido na praia. Penso todavia que é possível ir mais longe, nomeadamente quando se acumular um maior tempo de funcionamento. Vamos ver se neste final de Verão ainda conseguiremos fazer mais algumas experiências…

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *