You are currently browsing the Poupar Melhor posts tagged: trânsito


Semáforos Intermitentes

Este fim de semana dei por mim a ter que parar em vários semáforos, porque estavam naturalmente vermelhos. Acontece que ficamos todos chateados quando percebemos que aquilo é tudo uma perda de tempo, dado que mais ninguém está a usufruir do semáforo que está verde.

Este tema chateia-me solenemente. A estupidez dos semáforos devia merecer alguma atenção numa idade em que saem notícias de várias conquistas tecnológicas, e em que os Media falam dos sucessos de eventos como o Web Summit… E, entretanto, continuamos comandados pela estupidez dos semáforos… É verdade que há já alguns exemplos de inteligência, como referimos neste artigo.

Há pequenos ajustamentos que se podiam fazer a esta tecnologia datada, com grandes vantagens. Um deles é passar uma série de semáforos a intermitentes, fora do período em que servem efectivamente para alguma coisa. Conheço, por exemplo, uns que ficam em frente a umas escolas, totalmente justificados, quando há aulas. O problema é que continuam a confundir o trânsito durante a noite e madrugada, e fins de semana, quando não há qualquer criança por perto. E muitos exemplos semelhantes se encontram.

Resultaria desta simples programação uma série de benefícios. Obviamente, de tempo. Depois, numa redução dos consumos, com a consequente redução de emissões, que todos agradecemos. Noutras paragens, parece que aumenta mesmo a segurança em geral.

E, para aqueles preocupados com a segurança, é preciso dizer que também há acidentes quando os semáforos funcionam. Eu, sempre que vejo um semáforo intermitente, tenho até mais cuidado de que quando eles estão verdes…

Pior, mais rápido, logo mais caro?

A novela da Segunda Circular não parece ter fim. Mas os desenvolvimentos do dia de ontem não auguram nada de bom para os Munícipes, pessoas que aí trabalham como eu, e visitantes de uma forma geral. Aliás, já era previsível, mas a coisa vai ficar ainda mais preta!

Se há coisa que eu e o Álvaro gostamos é de dar ênfase a uma boa gestão de projecto. E quando se fala de gestão de projectos, há sempre um triângulo que me vem à mente:

Pode apenas escolher dois... (adaptado daqui)

Pode apenas escolher dois… (adaptado daqui)

Este triângulo diz-nos que destas três qualidades, apenas há intersecção entre duas delas. Aplicando à Segunda Circular, poderíamos ter as seguintes combinações:

  • Fazer depressa a obra e com qualidade, mas não vai ficar barato…
  • Fazer depressa a obra e barata, mas não vai ser de qualidade!
  • Fazer uma obra com qualidade e barata, mas vai levar tempo.

Estas constatações tem várias abordagens mais tradicionais. Ocorre-se-me o ditado de que “depressa e bem, há pouco quem”. Como é que isto se traduz na Segunda Circular?

Enfim, o que todos gostaríamos é de uma obra bem feita, com qualidade, barata e rápida! Bem feita, com qualidade, esqueçam, como está demasiado claro para todos. E o pouco que tinha de bom foi retirado. Barata, esqueçam ainda mais, como fica evidente por estes dias…

Bem, rápida lá será, mas em vez de servir para nada, provavelmente só vai servir para nos infernizar a vida, durante e depois da obra feita! Mas, se voltarem a olhar para o triângulo acima, onde ficamos???

Trânsito na Segunda Circular

Na mesma semana em que gravamos o vídeo do trânsito na CRIL, fizemos o mesmo para a Segunda Circular. No vídeo, visível abaixo, pode-se observar o trânsito na Segunda Circular durante a primeira semana de Fevereiro de 2016, entre as 6 da manhã e 10 da noite.

Este estudo é mais um contributo na sequência das propostas que fizemos à Câmara de Lisboa para a Segunda Circular, e que ficará também disponível na nossa página sobre o trânsito em Lisboa.

Particularmente, não fiquei nada surpreendido com o resumo desta semana. A visualização retrata bem o que os automobilistas sofrem na Segunda Circular, e outras vias da cidade. Em resumo, destacaria os seguintes pontos:

  • O congestionamento na Segunda Circular começa todos os dias pelas 8 da manhã.
  • O troço do Campo Grande congestiona nos dois sentidos.
  • O eixo Norte-Sul tende a congestionar um pouco antes, não se configurando como alternativa.
  • A entrada do IC19 congestiona significativamente no nó da Buraca.
  • Pelas 10 da manhã está tipicamente tudo desentupido.
  • A Segunda Circular só volta a congestionar tipicamente pelas 17 horas.
  • No sentido de direcção da A1, o congestionamento tipicamente acaba nas Calvanas.
  • A zona do Campo Grande volta a ser muito afectada.
  • A zona de confluência da Segunda Circular e radial de Benfica congestiona também de forma severa.
  • O congestionamento tipicamente desaparece pelas 19:30.

Estes pontos suportam tudo aquilo que referenciamos até aqui, sendo que as propostas que avançamos dão também uma resposta aos problemas da Segunda Circular. Em particular, sustentam que a redução da velocidade de 80 para 60 Km/h proposta pela Câmara será um grande disparate, pois o congestionamento nem sequer é prolongado em termos horários. E isto dá ainda mais razão para que seja adaptado um ordenamento inteligente da velocidade que propusemos (não o disparate do limite bi-horário entretanto sugerido).

Trânsito na CRIL

Este é o dia em que a Assembleia Municipal de Lisboa vai apreciar o relatório e a proposta de deliberação final relativos ao Debate Temático sobre a Segunda Circular. Congratulamo-nos por algumas das ideias que apresentamos publicamente em primeira mão terem sido acolhidas, nomeadamente a do ordenamento inteligente da velocidade. Todavia, a proposta, apesar de melhorada, continua a ser muito insuficiente, pelos muitos problemas que vão criar a todos os que vivem, trabalham e visitam Lisboa…

No âmbito dos estudos que temos vindo a fazer sobre a proposta da Câmara de Lisboa para a Segunda Circular, um dos aspectos que é frequentemente invocado pela Câmara é a CRIL poder servir como alternativa à Segunda Circular.

Obviamente, quem por lá passa, sabe muito bem que esse não é o caso. Por isso, meti mãos à obra, e gravei no Google Maps o trânsito de uma semana completa. No video abaixo, podem ver o trânsito na CRIL durante a primeira semana de Fevereiro de 2016, entre as 6 da manhã e 10 da noite.

No vídeo facilmente se percebe que há imensos problemas na CRIL, dos quais referencio apenas alguns:

  • Nó da CRIL com A1, congestiona em diversos locais e diversos períodos do dia.
  • Saída do Eixo Norte-Sul para a CRIL
  • Túnel do Grilo, e especialmente a descida para Odivelas
  • Passagem da CRIL sob o IC22
  • Nó com o IC16 e túneis de Benfica

Consulta Pública da Segunda Circular

Termina amanhã o prazo para a resposta à consulta pública que a Câmara Municipal de Lisboa colocou sobre o projecto de intervenção na Segunda Circular.

O documento que vou submeter refere essencialmente o que descrevemos no artigo do Balanço da Segunda Circular. Incorpora os estudos detalhados que fizemos sobre o Campo Grande – Aeroporto, Nó da Buraca, Nó do Colombo, e do Campo Grande. Invoca ainda os artigos posteriores que fizemos sobre Árvores e Poluição, e Menos Velocidade, mais Poluição?

Foi criada uma página dedicada ao trânsito em Lisboa, e que ficará disponível no menu do lado direito do Poupar Melhor. Porque o nosso contributo não vai ficar por aqui, nem só pela Segunda Circular…

Isto porque já nos foi perguntado várias vezes: o que tem isto a ver com poupança? É uma resposta simples, e que tem a ver com poupança de tempo, recursos, e melhoria de muitos factores que nos afectam a todos!

Menos Velocidade, mais Poluição?

A ideia que todos temos interiorizada é que o consumo de combustível de um automóvel aumenta, com o aumento da velocidade. E com o aumento do consumo de combustível, aumenta naturalmente a poluição. Na proposta da Câmara para a Segunda Circular, é por isso assumido que a redução do limite de velocidade máxima de circulação contribuiria para uma redução dos impactes ambientais.

Por outro lado, é nos dito que para minimizar o consumo, é necessário engrenar a velocidade mais elevada, e conduzir nessa engrenagem sem deixar o carro ir abaixo. Acontece que na maioria dos carros, não se consegue fazer isso com um limite de 60 Km/h. Eu no meu não consigo…

A verdade é que a eficiência de um motor vai melhorando à medida que vamos inicialmente subindo a velocidade. Tal é verdade no arranque inicial, e tal mantém-se até determinada velocidade. Mas, a partir dessa velocidade, a potência necessária para o veículo se mover a uma velocidade superior aumenta mais que a melhoria de eficiência no motor, pelo que o consumo voltará a subir.

O ponto em que se verifica a inflexão de consumos é dependente das várias marcas/modelos, mas também de um conjunto diverso de factores variáveis, conforme temos referido em múltiplos artigos do Poupar Melhor. A melhor compilação que conheço no domínio desta área é a dada pelo documento “Transportation Energy Data Book”, que na sua página 126 tem o seguinte gráfico:

Consumo vs. velocidade, ao longo das últimas décadas

Consumo vs. velocidade, ao longo das últimas décadas (atenção às medidas imperiais)

Os dados deste gráfico evidenciam que actualmente os automóveis estarão próximos do seu melhor consumo quando circularem a quase 100 Km/h. E isto para os automóveis americanos, que sabemos não são tão eficientes como os europeus, que tipicamente utilizamos em Portugal. Esse valor está também de acordo os melhores consumos que consigo no meu automóvel. Notem ainda como as velocidades onde os automóveis têm os seus melhores consumos, tem vindo a subir nas últimas décadas. Tal não é obviamente surpreendente dadas as melhorias em termos de motorizações, mas também de aerodinâmica.

Os valores que a literatura consagra como óptimos, na zona dos 80 Km/h, não são válidos para todos os automóveis. Os mais recentes de uma forma geral ficam acima, mas com a notável excepção dos carros híbridos e eléctricos. Nestes, a velocidade óptima é genericamente bastante inferior, mas também não contam significativamente para o aumento das emissões de gases poluentes.

Assim sendo, o que a proposta da Câmara vai conseguir, ao reduzir a velocidade máxima da Segunda Circular, de 80 Km/h para 60 Km/h, é aumentar a poluição, o contrário obviamente do que é desejável!