Fracking: o debate


Queremos que participem comigo e com o A.Sousa no que pode ser ou não uma solução para o problema da energia fóssil para a todos nós. Portugal tem um problema de recursos fosseis, isso nem está a discussão. A possibilidade de obter no nosso próprio combustível fóssil no nosso próprio território seria melhor que haver petróleo no Beato.

Já não seria a primeira vez que se faria uma relação entre as coisas que são boas na sociedade, como seja o emprego e a natalidade, e o consumo de energia. Aqui queremos apenas que pensem como poderíamos ter acesso ao nosso próprio combustível fóssil e com isso fazer um manguito aos países que nos têm estrangulado durante estes anos todos após o 25 de abril com as birras, invasões e cartéis do petróleo.

Por outro lado, a ameaça de um sapateiro feito geólogo lixar os recursos naturais de todos em torno dos buracos que alguém faça no chão, fazendo ruir o chão por baixo da nossa casa ou soltando gases que não previu, é uma ameaça constante. Mexer nos solos, fraturando a rocha por baixo do terreno onde pisamos parece algo arriscado de fazer sem as devidas cautelas.

A discussão já envolveu artistas de Hollywood, políticos e populações, mas parece não ter fim. Chegou a altura de conhecermos os dois argumentos de cada lado da barricada para que quando tivermos de decidir o possamos fazer, não de acordo com o que nos queiram impingir, mas de posse da informação que entendermos ter sido justamente apresentada.

Os vídeos abaixo apresentam os argumentos contra e a favor da técnica e podem servir de base a um debate mais informado. Vale a pena verem ambos os filmes para perceberem as discussões que possam vir a assistir no futuro, mas atenção: o que não falta por aí é desinformação de ambos os lados.

Cada um dos lados irá fazer desfilar uma palete de especialistas. Estes especialistas irão desde jornalistas, a professores universitários. Até há todo um conjunto de TEDx com apresentações sobre fracking, mas não encontrei nenhum TED oficial. Os TEDx, para quem não sabe, são organizados por pessoas que não têm qualquer ligação ao TED. Deixem-me repetir: Os TEDx são organizados por pessoas que não têm qualquer ligação ao TED.

A discussão será sobre quem têm a energia mais limpa. Asseguro-vos que, mesmo que conseguíssemos juntar todos os dados necessários para avaliar qual das duas é a mais limpa, os meios à disposição de cada uma das partes seriam esgotados para negar os dados negativos que a outra apresentasse sobre a outra. E mesmo que no fim conseguíssemos juntar apenas alguns factos possíveis de usar num cálculo de custo versus benefício, a discussão passaria para os termos de comparação.

No fim irá sempre ser sobre o dinheiro. De um lado as pessoas que sem terem tido acesso ao contrato de exploração do combustível irão dizer que foi a prospeção que danificou os recursos naturais à sua volta, mas à espera que lhes paguem direitos de passagem para aquedutos de substituição da água. Do outro os que de repente, apenas porque têm um terreno em cima de um destes filões de combustível fóssil irão passar de desenrascados a novos ricos apenas por permitirem que, muitos kilometros por baixo da sua propriedade, se possa fazer a prospeção por processos hidráulicos. De um lado os que irão dar opções mais limpas como a energia eólica e solar, e os que irão propor usinas nucleares como a solução mais limpa.

De um lado temos as pessoas que vão dizer que o Fracking irá permitir obter gás natural e talvez mesmo petróleo onde antes haveria apenas rochas.

Do outro lado temos os que dizem que isso será o fim de tudo em torno do poço.

Tags: ,

{ 3 comments to read ... please submit one more! }

  1. É uma discussão gasta… Não tem interesse nenhum gastarmos tempo e recursos em torno dos recursos fosséis. É sempre uma solução não sustentável porque implica um desiquilibrio enorme entre o tempo que demoramos a consumir os recursos e o tempo que eles demoraram a acumular. Não me parece solução para o futuro…

  2. Não me parece uma discussão gasta… Para começar, onde estaríamos sem os combustíveis fósseis?

    Quando vi estes vídeos, uma das minhas preocupações foi verificar a fórmula química da queima do gás natural (metano), tendo verificado que a sua queima é das mais limpas que pode existir…
    Mas, mais interessante, é considerar qual a alternativa? As eólicas têm uma componente ambiental muito discutível, e a produção dos painéis solares é extremamente desagradável do ponto de vista ambiental. Aliás, para produzir as eólicas e os paineis solares é preciso remexer muita terra para encontrar os minerais raros usados na sua produção. E se acha que a poluição é um problema, espero que conheça a realidade presente na China, que é responsável pela quase totalidade da produção desses minerais raros:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Pollution_in_China

    O desequilíbrio enorme que refere aplica-se a muitas mais coisas que não apenas os combustíveis fósseis… Não há apenas animais em extinção; há também minerais:
    https://www.bgs.ac.uk/downloads/start.cfm?id=1638

    Obviamente, parte da solução parece-me passar por uma melhor utilização dos recursos, e nesse aspecto, aqui no Poupar Melhor tentamos dar esse pequeno contributo…

{ 1 Pingbacks/Trackbacks }

  1. Mapa da subsidiação do combustível fóssil » Poupar Melhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *