Mais mapas do Estado: podemos ver, mas não podemos mexer

O A.Sousa encontrou uma noticia sobre despesas do governo que entendeu ter uns valores que não batiam certo. Fez uma pesquisa e foi encontrar os mapas da Direção Geral do Orçamento (DGO). Ora os mapas em questão já sofrem do mesmo mal dos do Orçamento de Estado: São todos PDF  e não temos acesso aos ficheiros que lhes deram origem em formatos editáveis para gerarmos quadros comparativos ou outros. Todas as análises que queiramos fazer dependem da nossa capacidade de memória ou tempo para copiar célula a célula os dados nas 808 páginas dos relatórios de despesa:
Para 2012, vê-me só este calhamaço que utilizei, que é apenas metade das despesas:
http://www.dgo.pt/politicaorcamental/ContaGeraldoEstado/2012/CGE_2012_vol2tomo04.pdf
Junto da DGO tentámos saber como encontrar os dados que foram usados para gerar os PDF e obtê-los em formato editável. A resposta é a que já sabemos. Todos os documentos estão no site em formato PDF e não são publicados em formatos que permitam rapidamente o tratamento dos dados. Podemos ver, mas não podemos analisar com software.
Uma visita rápida ao site permitiu identificar um Data warehouse ou Business Intelegence do Orçamento (BIORC). Estamos a falar de uma ferramenta de análise de dados online como aquelas disponibilizadas no site da Pordata ou no site do Banco de Portugal.

O acesso ao BIORC para consulta de informação não está disponível ao cidadão, embora exista a intenção de o fazerem como se pode ler nesta página.

Mais uma vez, não se pede que aumentem a despesa, mas que se aproveite o esforço que os n trabalhadores dos n gabinetes ministeriais já fizeram e aumentem com isso o valor percecionado da nossa democracia.

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *