Passwords pagas?

Mira Modi pronta a lançar dados...

Mira Modi pronta a lançar dados…

Ele há cada uma!!! A rapariguinha ao lado, que dá pelo nome Mira Modi, lembrou-se de criar um serviço de geração de passwords seguras?! Cada password custa a módica quantia de dois dólares (quase 2 euros), sendo que as passwords são geradas manualmente pela Mira e enviadas por correio!

Francamente, há ideias mais estúpidas, mas esta não fica muito atrás! Para começar, as passwords geradas por ela, como é referido no site dela, tem por base o método Diceware, que exige várias palavras para tornar a password verdadeiramente segura. Pagar quase dois euros por qualquer coisa que pode você fazer num ápice, não é realmente inteligente…

A Mira, filha de Julia Angwin, admitiu há dias que já vendeu cerca de 30 passwords. O jornalista do artigo comprou-lhe duas. Por esta via, Mira já sabe as passwords de algumas pessoas! É que a regra número um de uma password deve ser a de que ela não seja de conhecimento de outros, e neste aspecto Mira infringe claramente as regras!

Se querem boas passwords, arrajem um dos centenas de programas que por aí há. Se quiserem passwords Diceware, podem ver aqui ou ali. Ou simplesmente inventem uma, como já aqui sugerimos há mais de três anos

Tags: , ,

{ 5 comments to read ... please submit one more! }

  1. A visibilidade que a ideia desta criança já teve vai certamente ter repercuções substanciais na consciência de muita gente que irá reflectir acerca do baixo nível de qualidade das passwords que usa. Só por isso é fantástico, já valeu a pena e eclipsa os argumentos que classificam a ideia como estúpida porque encomendar uma password é pouco seguro e inútil por se poder facilmente fazer uma equivalente. Bem melhor do que fazer pulseirinhas de elásticos e vendê-los aos familiares e amigos a $2 cada uma.

  2. Nuno,
    Permita-me discordar em vários pontos.
    Começo pelas pulseirinhas. Quando paga $2 por uma pulseirinha, ainda fica com qualquer coisa. Pode ou não usar. Agora, estas passwords, convenhamos não servem para nada…
    Quanto à visibilidade da ideia da criança, está ainda abaixo do nível do Martim do Prós&Contras. Todavia, admito que gostava de saber a posição da Raquel Varela sobra a Mira. Como vi nalguns foruns online, é ainda possível que isto seja mais Julia que Mira…
    É também possível que a reacção da grande maioria das pessoas seja precisamente oposta à que antecipa. Aliás, ela enterra os amigos, como não percebendo da coisa… Porque não se esforça ela só um bocadinho nesse segmento, tipo explicando as coisas? Em vez de lhes sacar $2. Ou, então, cria um site que automatize esse processo, e realmente possa contribuir para termos passwords mais seguras? Uma coisa do género https://www.grc.com/passwords.htm
    Enfim, o objectivo dela não é chamar a atenção. Basta ler o artigo da ars technica para perceber que ela já tinha tentado outras formas de sacar $2, mas sem grande sucesso.
    Enfim, também se poderia advogar que é um subsídio aos CTTs lá do sítio, ou que é uma medida para fomentar a Economia. Coisas à las velas de Bastiat… Ou então, à semelhança de um nosso velho conhecido, que depois de combatido aqui no PM, ressurgiu uns anos depois, após sacar umas centenas de milhões a pessoas indefesas, com ideias infantis do género…

  3. Olá A.Sousa,

    Concordo com tudo o que diz mas faço uma ressalva. A criança tem 11 anos. E a minha comparação com as pulseirinhas tinha a ver com a idade de quem as faz e com o valor que acham que tem o que fazem. Com 11 anos é compreensível que, a ter tido aquela ideia, ache aquilo muito útil e também é compreensível que a tenham incentivado a perseguir a ideia. Concordo que o mundo deu muiiito mais importância à coisa do que realmente ela tem. Mas se há alguma estupidez não estará certamente na criança de 11 anos que teve esta ideia nem em quem pedagogicamente a incentivou a concretizá-la; estará em quem lhe deu demasiada importância.

    À luz disto para mim o verdadeiro assunto aqui é tentar entender como é que uma notícia destas ganha tanta importância.

    E aqui comparo com as histéricas notícias desta semana sobre a carne e o cancro. A forma como isto tem sido noticiado é irresponsável (ex: se usar chapéu DUPLICAR as probabilidades de eu ganhar o euromilhões, estas passam de 1 em 76 275 360 para 2 em 76 275 360… o que não chega para me entusiasmar).

    Dito isto, nesse sentido acho mais útil um artigo como este que aqui foi escrito do que as dezenas ou centenas de artigos acríticos que escreveram por todo o lado acerca disso. Obrigado ;)

  4. Nuno,
    Totalmente de acordo também com o que diz. O meu objectivo não foi criticar a Mira, até porque admiro os “empreendedores” da idade dela. Sacar uns cobres aos adultos, seja por rifas, pulseirinhas, ou por outro método, é louvável… Agora, quando uma garota de 11 anos é exposta (se expõe) ao nível global, não pode esperar que tenhamos compaixão dela só por causa da idade…
    Lendo com atenção os artigos originais (não estou a falar dos IOLs & companhia) percebe-se todavia melhor a história, e isso passa claramente pela mãe… Até porque só conceber aquele site é obra! O problema é depois tudo o que se faz a seguir, e as notícias sem nexo que surgiram! Mais criticável ainda que a Mira & Julia,
    A da carne&cancro ainda estou a digerir. Estou sem palavras! Ando a ler umas coisas para não dizer coisas demasiado desagradáveis… E é como diz, isto das probabilidades tem muito que se lhe diga. E lamento quebrar ainda mais o seu entusiasmo relativamente ao Euromilhões, pois as reais probabilidades de ganhar o euromilhões são de 1 em 116 531 800 :-(

  5. Estamos de acordo afinal eheh
    Obrigado por melhorar as probabilidade de eu não ganhar o euromilhões. É um alívio porque 1 em 76 275 360 ainda é tentador porque me parece provável ganhar enquanto que 1 em 116 531 800 não dá hipótese ;) Interessante era saber qual a percentagem de vencedores do euromilhões que deu cabo da vida por ter passado a ter mais dinheiro do que alguma vez conseguiu imaginar :)

{ 0 Pingbacks/Trackbacks }

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *