É igual ao litro…

A DECO lançou ontem as conclusões de um teste que efectuou a três tipos de gasóleo. Testou o premium Galp Gforce, o normal Galp Hi-Energy, e o gasóleo low-cost do Jumbo e Intermarché. Juntou quatro automóveis em condução controlada, fizeram 12 mil quilómetros, e no final a conclusão foi a de que é tudo igual ao litro!

Embora curiosamente o gasóleo normal da GALP tenha tido o comportamento melhor, ele foi de apenas 0.13 litros aos 100 Km inferior ao pior dos gasóleos low-cost, ou seja com pouco ou nenhum significado. Foi igualmente analisado o impacto nos motores da utilização dos diferentes tipos de gasóleo, mas nenhuma diferença parece ter sido detectada.

No vídeo abaixo percebe-se que houve alguma preocupação com a metodologia, embora eu pessoalmente preferisse testes mais controlados. Neste forum da especialidade há naturalmente muitas mais visões específicas, sobre um tema que ainda vai dar muita polémica, até porque há críticas válidas aos testes efectuados…

A DECO sugere ainda a assinatura de um abaixo assinado, mas pessoalmente não o assinei, porque penso o problema não ser na existência de MAIS um regulador, mas no do actual não fazer mais pela elucidação do Mercado. Todavia, não se pode discordar com “que todas as alegações sobre os combustíveis à venda em Portugal passem a ser comprovadas“.

Tags:

{ 1 comment to read ... please submit second! }

  1. Eu concordo consigo no que diz respeito aos testes serem mais controlados. Isto e um assunto muito delicado em que cada pessoa puxa a braça a sua sardinha e não pode ser com testes assim tão redutores que vai ajudar as pessoas a saber a verdade, porque se assim fosse os carros de formula 1 iriam abastecer ao jumbo. Não devemos de esquecer que muito que temos nos nossos carros devesse ao desporto automóvel.

    A meu ver este teste tem vários erros que podem levar as pessoas bem como a DECO a uma ma conclusão.
    1º A inclusão no teste de um gasóleo para carros mais desportivos ou alta cilindrada, que como se viu neste carros não teve qualquer vantagem ou desvantagem como era esperado.
    2º 12.000 km não são nada na vida de um motor sendo que representa 5 a 8% da vida de um motor sem que se tenha que reparar a fundo o motor, que uma percentagem tão baixa as peças apresentem desgaste mínimos entre elas.
    3º nem todos os carros se comportam da mesma maneira com o mesmo tipo de combustível, havendo desde carros de carga, citadinos, desportivos, de alta cilindrada, etc.

    Em conclusão o teste não me diz nada alem dos 3 problemas que já referi a conclusão da deco ainda é paradoxal, porque existe um gasóleo que dentro das low cost gasta muito mais do que outra low cost, está certo que a diferença e pouca mas a diferença entre si e maior do que uma low cost e uma da galp. À pouco tempo atrás um grupo de engenheiros juntou-se para discutir este problema, entre das muitas coisas ditas é que o maior problema das low cost é o desgaste no motor e aconselham a cada 5 depósitos de low cost um seja de uma marca normal. O meu conselho é que as próprias pessoas façam os seus próprios teste e depois só fazer as contas. Uma dica passar pelos mesmo sítios a mesma velocidade e tentar não aldrabar o teste só porque gostamos mais de uma outra gasolina.
    Em conclu

{ 0 Pingbacks/Trackbacks }

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *