Cruzamentos vs. Rotundas

Há a ideia de que as rotundas são mais eficientes que os cruzamentos. Em Portugal há uma grande quantidade de rotundas. Todavia, há países em que elas são menos habituais, como é o caso dos Estados Unidos.

O programa MythBusters resolveu testar a teoria com um exercício prático. Como é habitual no programa, a réplica é confrangedoramente real! No final, as rotundas revelaram-se mais eficientes que os cruzamentos. Num mesmo período de tempo, as rotundas permitiram escoar 460 veículos, contra 385 no cruzamento. Assim, em termos de ponta, a rotunda pode ser cerca de 20% mais eficiente que um cruzamento! O programa do episódio completo está disponível abaixo, que inclui mais análises sobre trânsito, com a parte das rotundas/cruzamentos a desenvolver-se depois do minuto 31:43.

Não estou todavia convencido que as rotundas se justifiquem em muitos casos, sobretudo quando há uma via principal, e cruzamentos com estradas secundárias. Tal tem ficado evidente com a análise que temos feito das Estradas Rápidas. Muitas estradas tem sido limitadas com a construção de rotundas, que limitam significativamente o tráfego na estrada principal. Vou procurar mais informação, para verificar se assim é, ou não.

135ª rotunda: o das rotundas vs os cruzamentos

Podcast do Poupar Melhor

Esta semana o A.Sousa foi rever um vídeo com algum tempo dos Mythbusters e o estudo que compara a eficiência das rotundas com o dos cruzamentos.

Podem aceder aqui à lista completa de episódios do Podcast. O Podcast do Poupar melhor está também no iTunes

Play

Sinal Wifi em Android

Quando queremos que uma rede wifi seja mais rápida, o primeiro passo a assegurar é que as suas condições de funcionamento sejam as melhores. Desde investirmos em melhores antenas, até fazemos uma prospecção das outras redes para verificar nomeadamente os canais que estão a ser utilizados.

Nesta última vertente, tenho utilizado cada vez mais o telemóvel. A app Wifi Analyzer para Android permite averiguar que canais estão a ser utilizados, bem como os níveis de sinal em cada momento. Como se pode ver na imagem a seguir, retirada da página do Google Play, os vários APs já utilizam vários dos canais. A utilização dos canais 4 ou 9 poderia neste caso ser, porventura, a opção mais interessante.

Visão por canais

Visão por canais

Embora seja possível configurar os sistemas wifi para fazerem uma gestão dinâmica da utilização dos canais, tenho tido vários problemas com vários equipamentos, pelo que desisti dessa funcionalidade. Em vez disso, recorro também à análise dos níveis de sinal ao longo do tempo. Neste caso, faço uma pequena excursão pelos locais onde utilizo o wireless, e depois comparo o gráfico seguinte com o anterior, para depois decidir a melhor configuração dos sistemas wifi que utilizo.

Níveis de sinal ao lono do tempo

Níveis de sinal ao lono do tempo

Diretórios de links

Antes dos motores de busca e dos links serem classificados por algoritmos que se baseiam na importância dada por humanos aos links, era para os diretórios categorizados de links que nos virávamos para procurar informação.

Hoje ainda podem ser uma fonte útil para encontrarmos o que queremos. Por isso, junto a minha tradução e adaptação livre para um conjunto de diretórios de links que encontrei nesta página sobre os motores de busca da internet:

  • Mahalo (Diretório Web que usa editores humanos e apresenta os seus resultados lado a lado com o Google Seach)

  • Open Directory (“O maior e mais completo diretório de links editado por humanos. Construido e mantido por uma vasta comunidade global de editores voluntários.”[ii] The Open Directory project também é conhecido por DMOZ, ou Directory Mozilla.)

  • Yahoo!Search Directory (“The Yahoo Directory é uma biblioteca de websites criada e mantida por humanos organizada em categorias e sub-categorias. Os editores Yahoo revêem estes sites para potenciais inclusões no diretório, e para avaliarem a melhor categoria para colocação.”[iii])

Os perigos da compostagem

Legionella

Legionella

A semana passada, quando investigava alguma informação sobre os sacos para o lixo, tropecei numa associação entre a legionella e a compostagem. Era algo que provavelmente já teria lido no passado, mas que só passamos a dar importância após o surto de Vila Franca de Xira, que causou pelo menos 12 mortes.

O artigo que me chamou a atenção foi este do Daily Mail. O artigo referencia cinco jardineiros infectados com a Legionella, associada a sacos de composto, no final do Verão de 2013. Refere igualmente que investigadores da Universida de Strathclyde teriam descoberto a bactéria em 14 de 22 marcas comerciais de composto, dos quais 4 correspondiam a uma das espécias de Legionella mais mortais, a Legionella longbeachae.

Embora a Legionella possa ser encontrada facilmente na natureza, a forma como o compostagem é realizada torna o meio altamente adequado para o desenvolvimento da bactéria. No artigo da Legionella longbeachae refere-se mesmo a que ela se encontra sobretudo em cenários de compostagem.

Mas quando fiquei verdadeiramente preocupado, foi quando li este artigo sobre os perigos da compostagem. E não é só sobre a legionella! Da leitura do artigo pressente-se que muitos doentes e mortos nem sequer chegam a saber o que lhes aconteceu. De outras leituras, sobre experiências de quem a apanhou, e da forma como parece que o problema se está a intensificar, é de se ficar preocupado! Da minha parte, acabou-se qualquer tentativa futura de pensar em compostagem!!! O lixinho vai directo para os caixotes de lixo, de prefência em sacos de plástico bem confinados… A minha saúde primeiro!

Afinal, segundo a aplicação dos CTT, não tenho dividas na Via Livre

Aplicação iOS para controlar as portagens

Aplicação iOS para controlar as portagens

Depois da tourada das últimas semanas com a Via Livre e Via Verde nas portagens da Via do Infante, decidi fazer umas verificações.

Ainda não tenho resposta por email da Via Livre ou da  Via Verde ao email que partilhei convosco, mas a Via Verde acabou por me enviar um SMS a indicar-me que irão endereçar a reclamação depois de enviar mais uns emails, agora com o conhecimento de alguns endereços de email da Estradas de Portugal que encontrei espalhados ali pela Internet.

Estive a cruzar a informação que vinha na notificação com os registos de passagem na Via Verde e concluí uma coisa espantosa: os pórticos da Via do Infante, os tais que não tinham lido o identificador do meu veículo, tinham lido todas as outras passagens, menos as passagens entre Portimão e Loulé. Se os pórticos não leram nas restantes passagens, pelo menos o valor foi-me cobrado no extrato da Via Verde.

Extrato Via Verde

Extrato Via Verde

Instalei também a aplicação dos CTT que nos permite verificar os valores a pagamento para portagens das ex-Scut, inserir a matrícula da viatura em causa, o resultado é a aplicação informar-me que não tenho dívidas. Lembrem-se que quando passam um pórtico da Via Livre, em caso de falha de identificação do dispositivo eletrónico, o pórtico não apresenta qualquer sinal sonoro ou mensagem luminosa a indicar-nos desse evento.

A minha questão continua assim por resolver, mas tenho agora uma nova: Se não tenho dívida e nada foi assinalado nos pórticos da Via Livre, expliquem-me lá, como se eu fosse pequeninho, como raio queria a Via Livre que eu sequer imaginasse que havia uma dívida?