Sal na Comida

O excesso de sal na comida tem sido associado ao desenvolvimento de diversas doenças. No passado, os meus avós tinham salgadeiras, e por isso a quantidade de sal que ingeriam era enorme. Morreram todos de idade avançada… Todavia, tudo o que nos dizem hoje em dia é que o sal em excesso faz mal!

A World Action on Salt and Health (WASH) elaborou um estudo comparativo internacional sobre a quantidade de sal na comida fast-food dirigida a crianças. O que encontraram foi um excesso de sal na comida dirigida a crianças. Oito em cada dez refeições continham mais de um grama de sal por refeição, que é o máximo recomendado para uma criança entre os 4 e 6 anos.

O estudo, cujos dados detalhados podem ser consultados neste documento, não detalha valores para Portugal, pelo que poderá ser interessante descobrir quais são. Todavia, para os vários países analisados, as diferenças são enormes, como se pode observar no gráfico abaixo, com a mesma refeição na Turquia a ter cerca do triplo do sal da mesma refeição no Reino Unido:

Sal no McDonalds Chicken Nuggets

Sal no McDonalds Chicken Nuggets

Como arrefecer as cidades?

No próprio dia em que escrevemos o artigo sobre o Aquecimento Urbano, saiu um artigo na Nature sobre como as cidades podem combater o calor. O artigo é bastante crítico dalgumas opções actuais, como a dos “telhados verdes”, pois apesar destes contribuírem para arrefecer o topo dos edifícios, nem sempre contribuem para o arrefecimento urbano.

O estudo refere que os “telhados verdes” diminuem algo a temperatura durante o dia, mas aumentam durante a noite. E afectam a precipitação também. O estudo acaba por chamar a atenção para um local que eu já conhecia, mas por outras razões…

Almeria, em Espanha, é o local com provavelmente a maior concentração de estufas no Planeta. Como se pode ver pela imagem baixo do Google Maps, a concentração das estufas produz uma superfície praticamente branca, que reflecte a luz solar. Tal é função de um nível elevado de albedo, que quase faz parecer que o local está coberto de neve. Um estudo determinou mesmo que no cenário de Aquecimento Global que se tem observado nas últimas décadas, em Almeria as temperaturas têm descido!

No artigo da Nature referido, o seu autor Hannah Hoag defende por isso que os telhados brancos, ou um aumento de albedo, poderão ser a melhor solução para o arrefecimento urbano. Por isso, o que menos interessa é expor o alcatrão, mas encontrar ambientes com um nível de albedo superior!

Estufas Almeria

Estufas Almeria

Raspberry Pi Sensor hat – a placa com sensores da era espacial

A Raspberry Pi Foundation lançou um novo add-on para o Raspberry Pi (RPi). O vídeo acima fala dessa placa, dos seus sensores e da razão pela qual foi construída.

Aqui no Poupar Melhor já tínhamos falado na possibilidade de montar esses sensores no RPi para dar-mos mais possibilidades aos nossos projetos, mas esta placa é só instalar no GPIO e usar o código que foi construído para os astronautas testarem no espaço. A placa trás muitos qualquer-coisa-metros. A lista de funções fica aqui:

  • Gyroscopio;
  • Acelerómetro;
  • Magnetometro;
  • Termómetro;
  • Barómetro;
  • Humidímetro;
  • 8×8 RGB LED matrix display; e
  • Joystick de 5 botões com clique no centro.

A placa vai ser vendida por cerca de €32,00 online. A

Exemplos de negócios que correm mal

O A.Sousa já tinha aqui dado a notícia sobre como um antigo antagonista nosso se veio a debater com outros problemas mais sérios do que a nossa desaprovação para os seus produtos. Deixo-vos aqui isto sobre o mesmo tema e não digo mais nada.

Aconselho-vos a julgarem por vocês próprios o que estão a ver para terem este tipo de discurso sempre presente como forma de detetar investimentos que dão em perdas. Lá dizia o ditado popular: Quando a esmola é muita…

Aquecimento Urbano

Ante-ontem, a imagem do dia da NASA foi relativa a uma imagem composta dos Estados Unidos, que referencia o impacto da urbanização no clima de superfície dos Estados Unidos. A imagem é reproduzida imediatamente a seguir:

Calor Urbano nos Estados Unidos

Calor Urbano nos Estados Unidos

O artigo científico associado é intitulado “Impact of urbanization on US surface climate“, da autoria de Bounoua, et al., revela muitos pormenores interessantes. Em termos genéricos, a subida de temperaturas em centros Urbanos é muito conhecida, estimada no artigo até 3ºC, e a ela nos referimos recentemente num artigo sobre como as árvores baixam a temperatura.

Todavia, o artigo reserva algumas surpresas. Como se pode ver pela imagem, a subida de temperaturas é maior nas cidades dos Estados Unidos que são mais frias. A subida nas regiões de maior calor é menor. Esta mensagem parece-me muito semelhante à de que o Aquecimento Global nota-se mais em latitudes mais elevadas, pelo que fico com dúvidas sobre causas e consequências…

Mas o que mais me surpreendeu no artigo foi um outro gráfico, visível abaixo. Dá-nos uma ideia como varia o aumento da temperatura em ambientes urbanos, em função da área de superfície impermeável. Embora estatisticamente não seja muito relevante, pelo número reduzido de amostras, é muito interessante constatar que até 35% de área impermeável, se verifica uma subida de cerca de 1.3ºC. Mas, a partir daí a subida é vertiginosa! O que dá razão a muitos regulamentos municipais, que começam a dar muita atenção a este pormenor…

Área de superfícia impermeável

Relação entre aumento de temperatura e área de superfícia impermeável (ISA)

Miúdos e estranhos – às escondidas dos pais

O A.Sousa já tinha referido como temos sempre a preocupação de ensinar aos mais novos, o quão cuidadosos devem ser com estranhos e como encontrou no canal Youtube de JoeySalads alguns exemplos de como nem todo o esforço pode ser suficiente para a sua segurança. O video acima mostra-nos a sua experiência mais recente em que os miúdos são convencidos a fazer tudo aquilo que justamente não deviam fazer: encontrar-se com um estranho que conheceram na internet às escondidas dos pais.

Outras situações como perder todos os itens de uma conta digital podem não resultar em danos tão graves, mas se estas crianças tivessem sido mesmo alvo de um verdadeiro predador, pensam que seria o adulto a contactá-lo ou um miúdo que serviria de isco?