Importância de vento norte na A1

Há já bastante tempo que andava a procurar contabilizar o impacto do factor vento no consumo de um automóvel. É que ainda não fiz o teste da minha pata de lebre, mas tenho que ir preparando a partida!

No passado 24 e 25 de Maio, tive oportunidade de fazer um teste mais científico. Tinha indicações das previsões de vento de que ele iria soprar quase exactamente de Norte, e com uma velocidade constante, durante o trajecto de ida e volta, de Lisboa ao Porto. Dados históricos recolhidos pelo Weather Underground revelam que assim foi, com vento durante o trajecto a soprar a cerca de 25 Km/h.

Os dados abaixo foram recolhidos entre as portagens de Alverca e Grijó, e no sentido contrário. As duas viagens foram non-stop, com uma velocidade constante de 120 Km/h, sem cruise-control. A estratégia de condução passou, ao contrário do que é meu costume, por manter a velocidade o mais próxima dos 120 Km/h, e fiz um blind-test, no sentido de que não controlei por outra forma a duração do trajecto. No final, o trajecto Sul-Norte acabou por demorar mais 31 segundos.

Infelizmente, os dados recolhidos pelo Torque não são tão exactos quanto pretendia. Ainda não consegui calibrá-lo para dar dados de consumo compatíveis com o mostrado pelo veículo, mas esse aspecto será melhorado. Um dos dados recolhidos diz respeito ao “Fuel flow rate/hour(l/hr)“, o indicador que talvez melhor esteja associado ao consumo. Como se pode ver na imagem abaixo, há uma faixa estranha de ausência de valores entre 0 e ligeiramente abaixo de 5. Note-se que os valores de zero não são estranhos, dado que em muitas situações, larga-se pura e semplesmente o acelerador, como é o caso das descidas, em que é possível manter a velocidade de 120 Km/h, sem calcar o acelerador:

A1 ventoDestaque natural para a serra de Aire, que fica situada próxima do Km 100 da A1. Note-se o consumo maior no sentido Sul-Norte, por via da subida, e bastante reduzido no sentido contrário.

Em termos médios, o valor desta variável no trajecto Sul-Norte foi de 12.250 l/hora, enquanto no regresso foi de 10.719. Tal é claramente visível, com muitos mais pontinhos vermelhos em valores mais elevados. Tal representa uma diferença de valores médios de 14%, o que é assinalável, embora inferior ao máximo teórico.

Outros dados médios relevantes das duas viagens estão na tabela abaixo. Também eles condicionam ou foram condicionados pelas duas viagens. Estejam à vontade para comentá-los:

Sul-Norte Norte-Sul
Speed (OBD) 120.53 Km/h 120.68 Km/h
RPM 2240 2243
Engine Coolant Temperature 66.48 °C 66.93 °C
Volumetric Efficiency (Calculated) 69.09% 65.93%
Turbo Boost & Vacuum Gauge 7.89 psi 6.57 psi
Engine Load 66.73% 64.86%
Fuel flow rate/hour 12.25 l/hr 10.72 l/hr
Mass Air Flow Rate 49.19 g/s 43.95 g/s
Intake Air Temperature 18.19 °C 20.38 °C
Intake Manifold Pressure 22.59 psi 21.28 psi

Tags: ,

{ 1 comment to read ... please submit second! }

{ 1 Pingbacks/Trackbacks }

  1. Donde sopra o vento? » Poupar Melhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *