Experimentando com marshmallows

Há cerca de duas semanas abordamos aqui a importância de começar a poupar cedo. Na infância, é muito importante introduzir o conceito de retardar a gratificação. Até que tomamos conhecimento da experiência dos marshmallows, a maioria de nós não acredita que esta ideia empírica tenha validação prática…

Em 1972, o psicólogo Walter Mischel da Universidade de Stanford, efectuou aquela que é conhecida como a experiência dos marshmallows. Um resumo em português, pelo Nuno Crato, está disponível aqui.

Num estudo de 1972, Mischel et al. descobriram que apenas uma pequena percentagem de crianças entre os 4 e os 6 anos eram capazes de resitir à tentação de comer um marshmallow, mesmo que lhe tivessem oferecido outro passados uns minutos. O verdadeiro impacto da experiência revelou-se quando no final da década de 80, Mischel observou que as crianças que haviam resistido à tentação de comer o marshmallow, registavam um melhor percurso académico, e uma melhor forma de lidar com a frustração e stress da adloscência.

A experiência continua hoje em dia, e já envolve mesmo análises de ressonância magnética aos agora quarentões… A experiência já foi repetida em muitos locais, sendo que na TED talk seguinte, podem observar como algumas crianças colombianas reagiram ao problema…

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *