Deja-vu na subida da electricidade

Cada vez mais confuso!

Vejam lá se não é confuso?

Este artigo é um deja-vu de um artigo escrito exactamente há um ano atrás. Fazemo-lo porque vale a pena continuar a escrutinar as misteriosas justificações para a contínua subida do preço da electricidade.

A ERSE divulgou ontem essas justificações. Segundo eles, o preço da electricidade vai subir 2.8% em 2014, mas nós sabemos que a subida vai ser certamente maior… E as justificações são resumidamente:

  • Custos de produção de energia eléctrica: Dizem eles que os preços da energia primária vão permanecer num nível tarifário elevado. Vão manter-se, mas o custo da electricidade, esse vai subir. E justificam ainda com o gás natural, quando se sabe que cada vez menos electricidade é produzida com recurso a gás natural…
  • Evolução do consumo de energia eléctrica: Como cada vez se consome menos electricidade, e as rendas se têm que manter, a electricidade tem que ser mais cara. A mais aberrante das justificações!
  • Recuperação nas tarifas de custos adiados no passado: As borlas do passado, são agora pagas com juros…
  • Quebra no preço do mercado das licenças de emissão de CO 2: Uma justificação nebulosa. Parece que o preço futuro do dióxido de carbono é menor, o que quer que isso signifique, e que, por isso, a electricidade tem que subir. Como a maior parte da energia em Portugal é produzida pelas eólicas, como qualquer um pode verificar numa factura de electricidade, confesso a minha completa incapacidade em perceber este argumento!
  • Custos da Produção em Regime Especial (PRE): Na sequência do ponto anterior, como a produção a partir de fontes renováveis, e também de cogeração, é cada vez maior, temos que pagar mais! E ainda por cima tendo beneficiado de incentivos económicos… E reconhecendo que o custo de produção da PRE é superior ao das tecnologias convencionais…

Tags:

{ 3 comments to read ... please submit one more! }

  1. E ainda diziam que o mercado liberalizado iria mudar o paradigma energético em Portugal.
    Não mudou como continuo no mercado regulado porque para o liberalizado não obtenho qualquer poupança.

{ 2 Pingbacks/Trackbacks }

  1. Uma visão sobre a cogeração » Poupar Melhor
  1. O contributo das eólicas » Poupar Melhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *